10 de junho de 2008

O silêncio - Parte 2

Pensando cá com meus botões e pós período TPM, consegui definir melhor o que é o silêncio. Cheguei a conclusão que a sensação se aproxima do sentimento dos entes queridos dos desaparecidos. Pessoas que somem do mapa, desaparecem do nada.
Seja qual seja o tipo do crime, tipo os desaparecidos políticos, ou as pessoas que simplesmente sairam um dia de casa e nunca mais voltaram, deixaram em que os ama o silêncio. Sim, não há respostas para saber onde estão, ninguém fala nada. Não se encontra o corpo. É a dúvida entre a vida e a morte.

O silêncio é como o corpo que não se encontra, que não se tem notícias, que não é possível enterrar para poder seguir a vida em paz.

2 comentários:

Marinha disse...

Cris, como disse ontem, tua objetividade é tão eloqüente, fala direta e indiretamente a quem tem o prazer de ler teus escritos que chega a ser subjetiva. Mas ahhh! Loucura! Fico pensando no silêncio e suas faces reveladas e... no que não quer ser revelado. Provocas a reflexão e me incursões internas. Decidi, vou parar de ler teu blog... hehe... Brincadeira, mulé! Parabéns!

Marinha disse...

Errata:
Provocas a reflexão e incursões internas.